No episódio 58 tentamos explicar os usos das expressões mexer os cordelinhos e meter uma cunha e fizemos referência a um artigo de jornal que descreve Portugal como um país onde estas práticas são bastante comuns. Hoje, vamos falar de mais duas expressões que acompanham estas práticas: dar graxa e ser um lambe-botas.

Engraxar não é o verbo que se usa para lustrar ou aplicar um produto que ajuda a proteger os sapatos e dar-lhes brilho?

É isso mesmo. O produto que estás a falar chama-se “graxa” e dizemos “engraxar os sapatos” ou “dar graxa” aos sapatos para descrever essa ação.

Ah! Acho que já percebo o que a expressão quer dizer. Significa “lisonjear” ou “bajular.”

Pois é. Quando queremos que alguém nos faça um favor, mexa os cordelinhos ou meta uma cunha por nós é frequente elogiarmos ou enaltecermos essa pessoa, por vezes exageradamente para lhe cair nas graças ou melhor dizendo para que fique a gostar de nós e acabe por fazer o que nós queremos.

Não percebo como é que a ação de engraxar os nossos próprios sapatos poderá ter originado esta expressão.

É natural pois tu não és do tempo dos engraxadores. Hoje em dia, são poucos os sapatos que precisam de ser engraxados, e quanto compramos sapatos que ainda precisam de ser engraxados, somos nós mesmos que geralmente damos graxa aos sapatos, mas nem sempre foi assim. Antigamente, existia a profissão de engraxador que era exercida por pessoas muito pobres e modestos consequentemente muito humildes que nem sempre eram respeitados por quem os contratava para engraxar os seus sapatos. Para realizarem o seu trabalho que consiste em embelezar os sapatos dos outros, os engraxadores têm de se dobrar perante os seus clientes. E dessa imagem de alguém que se ajoelha perante outra pessoa enquanto se esforça para fazer brilhar os seus sapatos e dessa forma aprimorar ou tornar mais distinto e elegante essa pessoa vem a expressão: dar graxa a alguém.

Já compreendi. Enquanto esses engraxadores recebiam dinheiro pelo seu trabalho, as pessoas que dão graxa aos outros nos dias de hoje não o fazem por dinheiro, mas para receber um favor em troca. Vejamos alguns exemplos de uso:

Quero pedir mais um dia de férias ao meu chefe e já comecei a dar-lhe graxa.
 

— Vou pedir um aumento de ordenado à Sr.ª Diretora do nosso departamento.
— Ah sim???? Das duas uma: ou esperas sentado ou começas já a dar-lhe graxa pois não me parece que ela esteja para aí virada.

 

A expressão lamber as botas tem exatamente o mesmo significado de dar graxa, mas a imagem que oferece é bem pior pois já não estamos a usar graxa e escovas para engraxar as botas de alguém, mas a nossa própria língua.

Enquanto a expressão dar graxa descreve sobretudo a ação de elogiar, lisonjear ou enaltecer alguém com o objetivo de obter qualquer coisa em troca, este segundo idiomatismo faz referência direta à pessoa que tem por hábito dar graxa aos outros como nos seguintes exemplos de uso:

— Ele só conseguiu subir na carreira porque é um lambe-botas de primeira qualidade.
— Queres dizer que ele sabe exatamente a quem e quando deve lamber as botas de alguém?
— É isso mesmo que eu quero dizer.
— Sabes muito bem que é assim que as coisas funcionam neste país, portanto não sei do que te estás a queixar.
 

— Para conseguir uma promoção acho que vou ter de lamber as botas do Diretor.
— Não vale a pena.
— Porquê?
— Sei de fonte segura que o Vice-Diretor já meteu uma cunha para a sobrinha dele ser nomeada para o cargo...

 

OUTRAS EXPRESSÕES MENCIONADAS
ser um lambe-botas
cair nas graças de alguém

esperar sentado
não estar para aí virado