No Episódio 35 fizemos referência à expressão ser um pau de virar tripas que descreve uma pessoa excessivamente magra ou tão esquelética que mais parece um pau. Mas existem diversas outras expressões que fazem referência a um pequeno pedaço de madeira mais ou menos curto ou pau. Algumas dessas frases são provérbios ou ditados populares, outras fazem parte de uma gíria ou melhor dizendo são frases usadas exclusivamente por um grupo de pessoas do mesmo nível sociocultural e geralmente não compreendidas por pessoas estranhas a esse grupo.

Um desses ditados é pau para toda a colher ou pau para toda a obra — que descreve uma pessoa que está sempre disponível para fazer qualquer tarefa ou aceita sem questionar ou discutir todos os serviços que lhe peçam que faça. O segundo ditado é ser um pau de dois bicos que descreve uma situação que pode ter vantagens e desvantagens ou apresentar aspetos positivos e negativos. Esta máxima apresenta a seguinte variação: ser uma faca de dois gumes. Eis um exemplo de uso das duas expressões:

O acesso à internet pode ser um pau de dois bicos / uma faca de dois gumes já que coloca à nossa disposição um vasto leque de ferramentas úteis para o nosso desenvolvimento pessoal e profissional mas também nos expõe a vários perigos.

Não devemos confundir os usos destes dois provérbios com o axioma o outro lado da moeda. Da mesma maneira que um pau tem duas pontas ou extremidades e uma faca pode ter dois fios de corte ou arestas cortantes, uma moeda também tem dois lados que se convencionaram chamar cara e coroa pois era frequente cunhar-se moedas com a cara do imperador ou governante de um lado e um símbolo representativo do seu poder no outro. No entanto, enquanto os dois axiomas ser um pau de dois bicos e uma faca de dois gumes sugerem simplesmente uma dicotomia de opostos ou, por outras palavras, um lado positivo que se opõe a outro negativo, a frase o outro lado da moeda sugere a existência de algo bastante mais complexo do que duas perspectivas diametralmente opostas do tipo yin-yang ou claro-escuro. A expressão o outro lado da moeda pretende lembrar-nos que nunca devemos olhar para um problema ou uma pessoa apenas sob uma perspectiva pois existe sempre um outro lado ou mais informação adicional que devemos conhecer e que está para além do seu reverso mais visível ou óbvio. Eis um exemplo de como usar a esta expressão:

Quando falamos da internet, o outro lado da moeda é bastante sombrio e preocupante. Dois desses aspetos mais assustadores que têm andado nas bocas do mundo ultimamente são as falsas notícias e os trolls ou as pessoas cujo único objetivo parece ser enfurecer ou até mesmo ofender outros utilizadores, desestabilizar um debate, e provocar uma discussão.

É frequente grupos de pessoas de uma determinada profissão usarem vocabulário técnico específico e que nem sempre é compreendido pelas pessoas externas ao grupo e o mesmo acontece entre jovens. Esse conjunto de palavras ou expressões funciona como uma linguagem própria ou característica desse grupo e é designada como jargão ou gíria. As frases pôr-se a pau e a dar com um pau são exemplo de gíria de um grupo de pessoas jovem. A primeira pretende avisar para a necessidade de estar atento ou ter cuidado perante um potencial perigo e a segunda quer simplesmente dizer em grande quantidade. Terminamos o podcast desta semana com exemplos de uso destas frases:

O Pedro tem comentários e comportamentos super machistas… Se ele não se puser a pau a namorada dele chateia-se e manda-o pentear macacos.
 

Se não te pões a pau vais perder a oportunidade de concorrer à bolsa de estudo que te permitirá continuar a estudar no estrangeiro.
 

Na festa de aniversário do Miguel havia cerveja a dar com um pau.
 

O concerto foi um sucesso!!!! Havia gente a dar com um pau.

OUTRAS EXPRESSÕES MENCIONADAS
ser um pau para toda a obra / toda a colher
ser um pau de dois bicos / uma faca de dois gumes
o outro lado da moeda

a dar com um pau

ser um pau de virar tripas - ver também episódio 35
ir pentear macacos - ver também episódio 36
andar nas bocas do mundo - ver também episódio 55