Recentemente, um amigo estrangeiro saiu-se com esta frase: É sempre bom colocar a cereja em cima do bolo. Pelo contexto, eu percebi exatamente o que ele estava a querer dizer e não posso sequer afirmar que a sua frase esteja errada pois o seu objetivo comunicativo era sublinhar a ideia de que é importante procurar a perfeição, melhorar até aquilo que já é considerado como muito bom e a ideia de coroar ou decorar um bolo com um pequeno mas importante toque final é geralmente representada idiomaticamente por uma deliciosa cereja no topo de um bolo.

A imagem que esta expressão descreve é compreendida por muitas culturas diferentes pois o mesmo idiomatismo existe em vários países como o Reino Unido, a França, a Itália, a Espanha, a Grécia, os Países Baixos, a Eslováquia e a Bielorússia entre muitos outros. Em alguns países, como no caso da Alemanha e da Roménia, existem variações deste adágio popular que substituem a cereja por uma passa ou um bombom mas a ideia ou mensagem que transmite é exatamente a mesma: um pequeno detalhe final que acrescenta valor a algo ou uma vantagem suplementar.

Mas a forma como o meu amigo construiu a frase — usando o verbo colocar em vez do mais habitual ser — e o resto do que me contou ou melhor dizendo aquilo que ele estava realmente a querer explicar ou esmiuçar levaram-me a pensar que, talvez ele estivesse a confundir duas expressões que à primeira vista podem parecer semelhantes mas na realidade apresentam significados muito distintos: ser a cereja no topo do bolo e colocar os pontos nos is. Enquanto que a primeira frase significa acrescentar valor ou um pormenor final que abrilhanta toda a obra, a segunda quer dizer clarificar ou esclarecer no sentido de acrescentar detalhes ou pormenores aos factos que já conhecemos. Esta última frase feita apresenta as seguintes variações: pôr os pontos nos is e colocar ou pôr os pingos nos is.

Espero que os seguintes exemplos de uso ajudem a distinguir os diferentes significados de cada uma destas expressões:

Rio 2016 seria a última vez que iria participar nos jogos olímpicos e portanto ser campeã olímpica nestes jogos era a cereja no topo bolo com a qual gostaria de terminar a sua carreira.

A melhor nota no exame será a cereja do bolo de um notável percurso académico.

Quando ela me visitou no hospital foi a cereja no topo do bolo da nossa relação pois a partir desse momento eu soube que poderia contar sempre com a sua amizade.

Antes de avançar creio que é preciso pôr os pontos nos is pois parece-me que existem muitos mal entendidos que precisam de ser esclarecidos.

O meu irmão quis pôr os pingos nos is através das redes sociais mas os seus amigos ficaram ainda mais confusos do que estavam antes das suas explicações públicas.

Não percebo nada do que estás a dizer… Coloca, se faz favor, os pontos nos is para que eu compreenda exatamente onde queres chegar.

A ideia que o meu amigo queria transmitir era que existe sempre espaço para melhorar e para ser sincera nem uma nem outra expressão querem dizer isso mas a ideia de alguém se esforçar por melhorar algo adicionando-lhe pormenores (os pontos os is) ou valor (a cereja no topo de um já delicioso bolo) é suficientemente clara para que se perceba o que ele queria realmente dizer.

OUTRAS EXPRESSÕES MENCIONADAS
pôr/colocar os ponto/pingos nos is