A expressão da semana passada ter os nervos à flor da pele faz-me lembrar outra frase feita que também usa a palavra flor.

Já sei qual é: não ser flor que se cheire

Essa mesmo! Não ser flor que se cheire descreve precisamente uma situação em que alguém é de tal forma antipático, rude ou mal educado que fazemos todos os esforços para não nos encontrarmos com ele ou ela.

Que interessante! Quando dizemos que uma pessoa não é flor que se cheire o que estamos realmente a dizer é que essa pessoa “cheira tão mal” que o melhor é não nos aproximarmos muito dela.

Exatamente! Este idiomatismo é uma espécie aviso para evitar uma determinada pessoa sobre quem não temos muito boa impressão tal qual como quando tentamos fugir de um odor ou cheiro desagradável… Eis dois exemplos de uso:

Me disseram ontem que o Rubens andava roubando dinheiro de sua empresa… Eu sempre soube que aquele cara não é flor que se cheire.

—A minha irmã tem um novo namorado mas as amigas dela acham que ele não é flor que se cheire.
—Ah sim? Porquê?
—Elas acham que ele é um mulherengo e que a minha irmã é apenas mais uma conquista para a sua coleção de namoradas.

Esse segundo exemplo contém uma nova expressão: ser um mulherengo.

Pois é. Esta frase é uma crítica aos homens que têm muitas namoradas uma a seguir à outra e não se apegam a nenhuma ou melhor dizendo preferem ter uma sequência de relações curtas e superficiais em vez de estabelecer um relacionamento mais longo e profundo. Vocês também usam a mesma expressão no Brasil?

Sim, também dizemos ser mulherengo mas às vezes também dizemos ser um cara pegador. Pegador aqui tem o sentido de conquistador de corações femininos.

E vocês dizem uma moça pegadora?

Como assim?

Em Portugal, a frase ser mulherengo é apenas usada para descrever um homem. E como somos uma sociedade muito machista há até quem ache que ser mulherengo não é um defeito mas uma qualidade. Para descrever uma mulher que tenha muitos relacionamentos superficiais e curtos em Português só há palavras insultuosas como ser uma vaca .

Pois, no Brasil é exatamente a mesma coisa. Nesse aspeto somos mesmo países-irmãos.

 

O podcast desta semana foi produzido por Cristina Água-Mel e Sónia Santos

OUTRAS EXPRESSÕES MENCIONADAS
ser um mulherengo
ser um cara pegador