Olá a todos! Depois de uma longa pausa em que fomos a banhos e estivemos ocupados a criar um novo site para o Say it in Portuguese estamos de volta com a expressão mexer os cordelinhos.

— Num artigo publicado a 8 de outubro de 2008 no Jornal de Notícias, a jornalista Clara Vasconcelos descreve Portugal como sendo o “país das cunhas e do mexer os cordelinhos.” Com base num inquérito realizado à população, a autora do texto constata que os “portugueses toleram bem o tráfico de influências e vêem nele a única forma de ultrapassar um Estado lento e desatento aos seus direitos e necessidades.” Apesar de escrito em 2008, não penso que as coisas tenham mudado muito desde então.

— A expressão mexer os cordelinhos é fácil de compreender para quem conhece as marionetas ou bonecos de Santo Aleixo.

— Pois é. A tradição de usar bonecos de pano ou madeira ou até sombras, como fazem na China, para representar histórias a crianças e adultos tem uma longa tradição. Em Portugal, as marionetas mais famosas, cuja existência está documentada desde o século XVIII, são os Bonecos de Santo Aleixo que se acredita terem nascido naquela aldeia alentejana.

— A manipulação destas pequenas esculturas de madeira com cerca de 20 a 40 centímetro de altura é feita através de fios que os mantêm suspensos. As pessoas que se escondem atrás dos bonecos mexem os fios ou cordéis que controlam a cabeça e os membros destes bonecos para que estes façam exatamente aquilo que elas querem. Da mesma maneira, a expressão mexer os cordelinhos descreve a situação ou circunstância em que alguém tenta influenciar outra pessoa para conseguir o que deseja ou obter um determinado benefício ou resultado.

— Em Portugal, existe também a frase meter uma cunha geralmente por alguém cujo significado é pedir diretamente a alguém que nos faça um determinado favor ou interceda em nosso nome para resolver um problema ou conseguir um benefício.

— A palavra cunha tem diversos significados, entre os quais um tipo de salto de um sapato ou um pequeno objeto que, colocado sobre outro serve para o elevar ou imobilizar como a cunha de uma porta. É destas características de pequeno instrumento que serve para elevar outro objecto que surge o idiomatismo meter uma cunha.

— Em Português Europeu também se ouve a locução estar à cunha mas vamos deixar a sua explicação para a próxima semana. Antes de terminar o podcast de hoje falta dar alguns exemplo de uso das duas expressões que apresentámos.

— Para acelerar a resolução de alguns problemas burocráticos tive de mexer uns cordelinhos…

— Em algumas instituições públicas é ainda possível mexer uns cordelinhos para conseguir o que queremos.

— Tentei mexer uns cordelinhos para conseguir um bilhete grátis para o concerto da minha banda favorita…
— E conseguiste?
— Segundo o meu primo que trabalha como segurança, ele nem para a irmã dele conseguiu bilhetes portanto fiquei a ver navios…

 

— Candidatei-me a esta vaga de emprego e tenho a certeza que vou ser contratada.
— Ah sim, porquê? A entrevista correu-te assim tão bem?
— Na verdade, até que me correu mal mas o meu tio é administrador na empresa e vai interceder por mim.
— Ah, já percebi. Tens uma grande cunha!

— Tentei meter uma cunha ao secretário para ser recebido pelo ministro mas ele recusou.
— Eu conheço algumas pessoas nesse Ministério. Queres que mexa uns cordelinhos?

 

O episódio desta semana foi escrito e produzido por Cristina Água-Mel em colaboração com Sónia Santos.

OUTRAS EXPRESSÕES MENCIONADAS
mexer os cordelinhos
meter uma cunha

Faça Login para descarregar os ficheiros.

Bonecos de Santo Aleixo