Quando queremos criticar uma ambição desmedida, dizemos quem tudo quer, tudo perde, correto?

Esta expressão funciona como uma espécie de aviso ou conselho para as pessoas que querem sempre mais do que já têm. A expressão sugere que quando alguém não sabe quando parar, pode correr o risco de perder tudo o que já tem. Na realidade, é apenas uma constatação da realidade como no caso das pessoas que trabalham excessivamente e em consequência disso têm problemas de saúde ou que foram tão ambiciosas que  não olharam a meios para conquistar os seus objetivos e em resultado disso perderam a confiança dos seus familiares e amigos.

Já o famoso padre António Vieira (1608-1697) dizia num dos seus sermões Quem quer mais do que lhe convém, perde o que quer e o que tem.

E também não espanta que esteja relacionada com a fábula da Galinha dos Ovos de Ouro do fabulista grego Esopo, o conto dos Irmãos Jacob Grimm (1785-1863) e Wilhelm Grimm (1786-1859) que substituiu a galinha por um ganso ou outras histórias semelhantes contadas na Indonésia ou na China. Conheces esta fábula?

A história da galinha dos ovos de ouro? Já ouvi falar…

A versão que eu conheço é bastante simples: um camponês muito velho e muito pobre recebeu a visita de uma fada que o prometeu ajudar. A partir desse dia, a galinha do velho camponês passou a pôr todos os dias um ovo de ouro. Não contente com o seu ovo de ouro diário, o velho achou que matando a galinha iria encontrar dentro dela uma enorme riqueza que o tornaria ainda mais rico do que já era. Convencido disso, pegou numa faca e matou a galinha, apenas para descobrir que no seu interior não havia nenhum ovo de ouro. Arrependido da sua ganância e desesperado pois tinha acabado de matar a sua única fonte de rendimento, ele implorou à fada que voltasse a dar-lhe uma galinha que pusesse ovos de ouro, mas ela recusou-se e o velho camponês terminou os seus dias pobre e arrependido da sua ganância.

No teu país, há uma história semelhante ou parecida? Conta-me!

Acho que essa história também existe na minha terra natal. Essa fábula é internacional e também a conhecemos.

A moral dessa fábula é a expressão desta semana: quem tudo quer, tudo perde. Falta dar alguns exemplos de uso:

 

— Para impressionar o meu chefe, disse-lhe que conseguia fazer o  relatório anual sozinha mas, no fim, não consegui respeitar o prazo de entrega e ele ficou chateado.
Quem tudo quer, tudo perde.
 

— O meu marido é completamente viciado em desporto. Quis fazer três maratonas num ano e esforçou-se tanto que acabou por ter um enfarte.
— É uma situação lamentável que apenas serve para provar que tudo o que é excessivo, faz mal.
— Pois é. Como diz o povo:
quem tudo quer, tudo perde.
 

— O meu vizinho está viciado no jogo e para pagar apostas milionárias, encheu-se de dívidas.
Quem tudo quer, tudo perde.

EXPRESSÕES SEMELHANTES EM OUTRAS LÍNGUAS
El que mucho abarca poco aprieta
grasp all, lose all

欲尽得,必尽失