— Olá!!!!! Há anos que não te via, como estás?

— É verdade, desde os anos da faculdade que não nos encontramos!!!! Estás absolutamente na mesma! Igualzinho ao que eras há 10 anos.

— Pois. Tu estás mais gorda!

É preciso ter lata!

— Desculpa?

— É preciso ter muito descaramento para me dizeres que estou gorda!!!!!

— Mas olha que era um elogio! Na verdade eras um espeto — magra demais, na minha opinião. Agora estás muito mais bonita.

— Poderá ser um elogio na tua cultura mas na minha é uma ofensa!!!!!!

— Como assim??????

— Bom, é preciso dizer que no século XIX gordura era formosura mas isso era no tempo das vacas magras no qual as pessoas não tinham que comer ou estavam muito magras porque sofriam de uma qualquer doença grave como a tuberculose. Nesses tempos achava-se uma uma pessoas mais redondinha ou melhor dizendo ligeiramente rechonchuda ou gordinha tinha uma aparência mais saudável e era por isso considerada mais bela. Mas os tempo mudaram, agora temos inclusivamente problemas de anorexia entre as adolescentes porque há quem associe ser magro a ser belo.

— Olha, peço desculpa se te ofendi. Não era a minha intenção. Fiquei muito surpreendido de te ver depois destes anos todos e acho sinceramente que estás muito mais bonita e que a mudança se deve ao facto de não estares tão magra como quando andávamos na faculdade.

De boas intenções, está o inferno cheio!!!! Também não terias gostado se eu chegasse ao pé de ti e te dissesse: “Estás careca!”

— Não sei me teria ofendido como tu te ofendeste, mas talvez tenhas razão. Os homens não gostam de perder o cabelo e as mulheres preferem nunca engordar.

— Tenho que admitir que a tua careca te fica muito melhor do que aquele horrível rabo-de-cavalo que usavas quando andávamos na faculdade…

— Então, estamos quites!!!!

SIGNIFICADO DAS EXPRESSÕES MENCIONADAS

é preciso ter lata = ter muito descaramento, ser muito atrevido/a ou desenvergonhado

ser um espeto / um pau de virar tripas = ser excessivamente magro/a

no tempo das vacas gordas = expressão usada para descrever melhores tempos de acordo com um ideal saudosista, muito português, de que o passado é — e será — sempre melhor do que o presente ou o futuro. Na conversa do podcast a expressão é alterada para melhor se adaptar aos objetivos discursivos do falante — tal como frequentemente acontece no dia-a-dia.

de boas intenções, está o inferno cheio = nem sempre a nossa boa vontade para ajudar ou contribuir para algo é bem sucedida e esta expressão descreve uma situação em que uma boa ação ou intenção teve um resultado infeliz e o seu autor em vez de ir para o paraíso acabou no inferno.

estar quites = o adjetivo quite quer dizer livre de dívidas; no exemplo apresentado, ambos os falantes — sem querer — ofenderam o outro e por isso se pode afirmar que a falta ou falha de cada um deles anulou a do outro.

Faça Login para descarregar os ficheiros.