A expressão de hoje é bastante estranha: estar feito ao bife — que significa estar com um problema grave sem solução à vista, estar tramado ou lixado. Muitas pessoas consideram o bife, sobretudo se for de vaca, uma carne muito saborosa e por isso nobre. Assim, não se compreende qual poderá ser a relação entre um bife e um problema. Coloquialmente falando também se usa a palavra bife para descrever um turista, não é?

A relação entre um turista e um bife não é assim tão estapafúrdia. Quando os turistas do norte da Europa, muitos deles ingleses, começaram a vir para Portugal passar férias à beira-mar rapidamente adquiriam a cor avermelhada que caracteriza o bife que os ingleses tanto gostam de comer.

Estás a dizer que os portugueses comparavam os turistas ao bife porque nos restaurantes eles pediam frequentemente esse prato e porque tinham as peles tão claras que frequentemente apanhavam escaldões ou queimaduras solares e ficavam com uma cor rosada muito parecida com os bife mal passados?

É isso mesmo. A relação que existe entre Portugal e Inglaterra foi sempre muito estreita. A mais antiga aliança diplomática ainda em vigor foi assinada em 1386 por D. João I de Portugal e Ricardo II de Inglaterra e para selar este pacto o rei português casou com uma nobre inglesa, Philippa of Lancaster ou Filipa de Lencastre. Foi graças às exportações de vinho português para Inglaterra que se começou a produzir o vinho do Porto. Foram também os ingleses que contribuíram para a exportação internacional deste vinhos pois onde quer que estivesse um inglês no mundo estava também uma garrafa de Porto.

Segundo essa lógica, parece que foram os ingleses que inventaram o vinho do Porto?

Não foram eles que inventaram mas foi por causa deles que se começou a fortificar o vinho produzido em Portugal. Naqueles tempos a exportação de produtos de Portugal para Inglaterra era feita por barco e o vinho de mesa que Portugal exportava chegava muitas vezes estragado ao seu destino pois a viagem era longa. Para tentar evitar que o vinho se estragasse os produtores decidiram acrescentar aguardente ao vinho, fortificando-o. Os ingleses gostaram do novo paladar do vinho e foi assim que nasceu o famoso vinho do Porto.

Bom, já percebi a importância dos “bifes” ingleses mas isso não explica a expressão de hoje…

Há coisas que nunca conseguiremos explicar e muito menos determinar a sua origem mas podemos especular sobre o assunto e aí cada cabeça terá a sua sentença

Essa expressão eu conheço — quer dizer que cada pessoa tem a sua própria opinião sobre um determinado assunto. Nesse caso, qual é a tua “sentença” sobre a expressão desta semana?

Os bife mais tenros ou macios e suculentos são feitos com carne do lombo ou alcatra. Mas existem outras zonas do corpo da vaca — que na culinária se designam por cortes — que também se podem cozinhar cortados à fatia como um bife. Para tornar esses cortes mais tenros ou “amaciar” a carne, algumas pessoas usam um martelo para bater a carne antes de a cozinhar. Para mim, a imagem de um pedaço de carne a ser literalmente batido com um martelo ou “torturado” descreve na perfeição o que deve sentir uma pessoa com problemas tão grandes e tão graves que não consegue vislumbrar uma saída ou ver uma luz ao fundo do túnel. Uma pessoa que está feita ao bife é assim alguém que foi socado até à exaustão e está completa e totalmente tramado ou lixado…

Não me parece má de todo, essa tua “sentença.” É até bastante verosímil. Dá-me alguns exemplos de uso, por favor.

Estou feito ao bife, fui despedido e agora não tenho como pagar as prestações do carro.

O meu senhorio quer a casa no final do mês. Estou cheia de trabalho e sem tempo para procurar casa. Não sei o que fazer… Estou feita ao bife.

— O Manuel está feito ao bife
— Porquê?
— A mulher dele descobriu que ele andava a jogar online e perdeu todas as economias do casal…

OUTRAS EXPRESSÕES USADAS
cada cabeça, sua sentença
estar lixado/a
estar tramado/a
ser um bife
ver uma luz ao fundo do túnel

Faça Login para descarregar os ficheiros.