A expressão de hoje é a torto e a direito e quer simplesmente dizer às cegas, à toa, para todos os lados indiscriminadamente ou sem refletir. Eis alguns exemplos:

No verão de 2015, na Tunísia, um terrorista disparou a torto e a direito matando mais de 30 pessoas.
 

No videocast de hoje da Porta dos Fundos gozaram a tordo e a direito com o primeiro ministro português.
 

Ela estava tão zangada com o patrão que foi para a cozinha e começou a partir a louça a torto e a direito.
 

Quando chegaram ao Mercado da Seda eles gastaram dinheiro a torto e a direito.

 
Assim que soube da existência de um portal de ensino online gratuito, inscreveu-se em cursos a torto e a direito. Ao final de 3 meses, já tinha começado 15 cursos diferentes…

A imagem que fica é de alguém que anda às cegas, sem rumo certo e mudando frequentemente de direção.

É verdade e até há quem diga que a expressão tem precisamente origem na imagem de um cego que ao sentir-se ameaçado por algum motivo começa a tentar defender-se com a sua bengala mas como não vê nada acaba apenas a brandir ou agitar a sua bengala no ar.

E podemos dizer andar a torto e a direito pelas ruas para descrever uma pessoa que está perdida num local?

Não, não podemos pois se alguém está perdido é porque tinha um rumo ou um objetivo e esta expressão não tem nada a ver com isso.

Existe inclusivamente uma expressão muito portuguesa para  descrever alguém que caminha sem rumo ou está tão perdido que não chegará nunca ao seu destino ou que muda tão frequentemente de direção que não apresenta qualquer tipo de consistência.

Ah sim? E qual é essa expressão?

Para saber mais terás de esperar pelo próximo podcast

EXPRESSÕES SEMELHANTES EM OUTRA(S) LÍNGUA(S)
à tort e à travers

Faça Login para descarregar os ficheiros.