O impacto social, económico, político e até religioso do império romano é verdadeiramente assinalável no sentido de extraordinário e não surpreende portanto que haja mais provérbios que lhe façam referência.

Como por exemplo Roma e Pavia não se fizeram num dia. Naturalmente que a construção de tão grande império foi gradual e demorada e por isso dizemos: Roma e Pavia não se fizeram num dia quando queremos reforçar a ideia que fazer alguma coisa — sobretudo quando é bem feita, leva tempo. Eis alguns exemplo de uso:

— Preciso deste trabalho pronto o mais rapidamente possível.
Depressa e bem, não há quem.
— Desculpe, não compreendo o que disse.
Roma e Pavia não se fizeram num dia.
— Ah, já percebi. Está a dizer que o trabalho só fica bem feito se for feito com calma.
— Isso mesmo. A expressão depressa e bem, não há quem é bastante mais coloquial e popular do que o provérbio, conhecido em vários países, Roma e Pavia não se fizeram num dia.

Outro exemplo é em Roma, sê romano. A ocupação romana foi naturalmente acompanhada da adopção da língua e dos costumes de Roma. Os residentes na Lusitânia — o nome que os Romanos atribuíram à província do seu império situada a oeste da península Ibérica — foram obrigados a viver sob a lei romana, ou melhor dizendo a partir do momento em que passaram a fazer parte do grande império romano tiveram de respeitar as regras e falar a mesma língua dos habitantes de Roma. Hoje em dia esta expressão, com tradução para muitas línguas europeias, funciona como uma recomendação: quando vivemos num país estrangeiro devemos esforçarmo-nos por falar a língua e respeitar sempre as regras locais pois só assim seremos bem-vindos.

Esta sugestão também se aplica quando convivemos com pessoas de outras nacionalidades ou culturas, não é?

Absolutamente. Quando pessoas de outras culturas nos convidam para jantar ou almoçar ou quando somos seus hóspedes devemos tentar respeitar a sua forma de ser e estar e não impor a nossa.

A sabedoria popular portuguesa, menos conhecedora da versão “internacional” deste provérbio descreve exatamente a mesma situação da seguinte forma na terra onde fores viver, faz como vires fazer. Aqui estão alguns exemplos de como usar este provérbio:

— Vou jantar a casa o Sr. Embaixador Chinês mas estou aterrorizada com a ideia pois desconheço completamente as regras de comportamento à mesa e nem sequer sei comer com pauzinhos.
— O melhor conselho que te posso dar é na terra onde fores viver, faz como vires fazer. Primeiro observa o que fazem os outros convidados chineses e depois tenta copiá-los.

 

— Sou Norueguesa e há mais de 5 anos que vivo em Portugal mas há várias coisas que não consigo habituar-me. Apesar de todos os meus esforços não consigo ser romana e imitar os portugueses, homens e mulheres, quando cospem no chão. Acho nojento!

OUTRAS EXPRESSÕES MENCIONADAS
Depressa e bem, não há quem.
Em Roma, sê Romano.
Na terra onde fores viver, faz como vires fazer.

 

EXPRESSÕES SEMELHANTES EM OUTRAS LÍNGUAS
Rome wan’t built in a day.

In Rome, do as the Romans.

入乡随俗

Faça Login para descarregar os ficheiros.