A república que se estabeleceu em Roma entre os anos 509 e 27 a.C. foi crescendo e durante a sua fase imperial (27 a.C. e 476 d.C.) ocupou um território que se estendia desta a Palestina ao Reino Unido. Esta ocupação deixou um legado importantíssimo em termos linguísticos mas também arquitectónicos. Para além das línguas de origem latina como o Francês, o Romeno ou o Catalão, os romanos deixaram no continente europeu uma importante rede de estradas.

É verdade. O império tinha por base uma estrutura comercial, onde as regiões controladas por Roma funcionavam como fonte de recursos que necessitavam de ser transportados para a capital do império. Foi portanto investido muito tempo e dinheiro na construção de uma rede de vias de comunicação que ainda hoje existem e fazem parte do Património Mundial ou noutros casos que foram enterradas no processo de construção de novas estradas.

Esta rede de estradas romanas tinha como principal objetivo ligar todas as províncias ocupadas do Império Romano a Roma para o transporte de bens e também dos exércitos necessários a manter a ordem nas províncias ocupadas. É por isso que se diz: Todas as estradas vão dar a Roma.

Esse sentido literal de um caminho ir dar a um determinado destino passou a descrever a inevitabilidade de alguma coisa e até existe uma segunda expressão, sem referência aos romanos, que é: todos os rios vão dar ao mar.

Nunca existe apenas um caminho para viajar do ponto A ao ponto B e se considerarmos uma outra expressão popular: cada cabeça sua sentença que pretende descrever o facto de cada pessoa ter uma opinião pessoal sobre um determinado assunto, existem sempre muitas opções de viagem diferentes ou, melhor dizendo, muitas soluções para cada problema. Assim, quando estamos perante uma situação ou um problema para o qual existem muitas hipóteses de solução, dizemos: todos os caminhos vão dar a Roma ou todos os rios vão dar ao mar. Sobretudo quando a opção A não é melhor ou pior do que opção B, apenas diferente e o objetivo final é exatamente o mesmo. Eis alguns exemplos:

— Preferes ir pela autoestrada ou pela marginal?
Todos os caminhos vão dar a Roma. O que eu quero é lá chegar o mais rapidamente possível.
 

— Preciso de comprar uma garrafa de álcool. Vou ao supermercado ou à farmácia?
Todos os rios vão dar ao mar… Talvez no supermercado seja mais barato mas tens de apanhar o autocarro.

Outro conhecido provérbio com referência direta a Roma é Quem tem boca vai a Roma.

Este provérbio significa simplesmente que quem tem um problema (como por exemplo saber qual o melhor caminho para chegar a Roma), tudo o que precisa de fazer é usar a sua boca ou melhor dizendo: falar ou perguntar.

Curiosamente no Brasil este provérbio parece ter uma variante: quem tem boca, vaia Roma — que na realidade soa exatamente da mesma maneira que a versão usada em Portugal mas recorre ao verbo vaiar que significa: criticar de forma sonora com assobios e outros ruídos que demonstrem o nosso desagrado perante algo.

Muito raramente é possível conhecer a verdadeira origem de um provérbio de tal modo se diluem no tempo mas sobretudo na sabedoria popular que se transmite sobretudo de forma oral. Nunca saberemos a verdadeira origem deste provérbio e podemos até encontrar razões para preferir uma versão à outra (cf. Resposta de M.R.M.R de 27.07.2007 in Ciberdúvidas da Língua Portuguesa). Pessoalmente, prefiro imaginar uma situação em que um residente do vasto Império Romano que quisesse vaiar o seu imperador ou queixar-se de alguma coisa seria obrigado a ir a Roma e para lá chegar perguntaria o caminho, o que torna credíveis as duas versões.

Note-se, no entanto, que “ir a Roma” é muito mais positivo do que “vaiar Roma” porque elogia o poder da palavra para ultrapassar obstáculos ou resolver problemas.

É verdade, mas o valor da fala quando necessitamos de criticar ou de nos queixarmos de alguma coisa também é muito importante, até porque quem cala, consente, ou melhor dizendo quem não se atreve a falar para protestar contra algo está a dar licença ou a contribuir para que nada se faça para melhorar a situação.

OUTRAS EXPRESSÕES MENCIONADAS
Todas as estradas vão dar a Roma.

Todos os rios vão dar ao mar.

Quem tem boca vai a Roma.
Quem tem boca vaia Roma.

 Cada cabeça, sua sentença

EXPRESSÕES SEMELHANTES EM OUTRAS LÍNGUAS
All roads / paths lead to Rome.

路在嘴边。

Faça Login para descarregar os ficheiros.