A expressão de hoje envolve duas palavras com as quais talvez não estejamos muito familiarizados. A primeira é nabos. Nabo é um tubérculo usado sobretudo para fazer sopas, mas é também um dos ingredientes do Cozido à Portuguesa. E a segunda palavra é “púcaro”. Esta palavra não é muito usada e pode até ser considerada como um regionalismo antiquado, pois era sobretudo usada em regiões rurais de Portugal para descrever uma caneca ou um tacho pequeno feito de barro. Esta palavra pode ser usada quer no masculino, quer no feminino de acordo com a vontade do falante pois são sinónimos. 

Lembro-me da minha bisavó me dizer para beber uma “púcara de água” e de comermos Frango no Púcaro — um prato de frango guisado com cebola e tomate num molho de mostarda. Mas não sei se se tiram os nabos da púcara ou do púcaro?

A expressão usa a palavra feminina tirar nabos da púcara e descreve uma situação em que alguém está a tentar recolher informação sobre um determinado assunto ou obter detalhes sobre um tópico.

A expressão sugere também que podemos estar a tentar descobrir um segredo ou indagar sobre algo que não nos diz respeito. Como nos seguintes exemplos:

         Ele queria compreender as razões do divórcio e para tirar os nabos da púcara foi falar com o  sogro.
 

         — Conta-me lá tudo sobre a reunião, por favor.
        — Lá estás tu a tentar tirar os nabos da púcara. Se estás tão interessado em saber os pormenores porque é que não pedes para ler a ata?

 

— Estou super curioso para saber o que se passou ontem na festa! A quem é que eu posso ligar para tirar os nabos da púcara?
— Tenta o Pedro! Ele adora cuscar?
Cuscar???? O que queres dizer? Estás a sugerir que o Pedro é um coscuvilheiro que gosta de bisbilhotar?
— Estou! O Pedro adora falar sobre a vida das outras pessoas!

Sabes qual é a origem desta expressão? Porque é que se associa um nabo a um segredo?

Nunca é fácil identificar a origem de uma expressão popular, mas esta pode estar diretamente relacionada com a realidade. Os nabos necessitam de muito pouco tempo de cozedura e frequentemente desfazem-se quando tentamos retirá-los do tacho onde foram cozinhados. Para que os nabos saiam inteiros da panela é necessário muita paciência e cuidado. Por analogia, quando tentamos saber mais coisas sobre um assunto ou queremos descobrir um segredo temos de ser pacientes e agir com muita subtileza ou corremos o risco de ficar sem “nabos”.

Ainda em relação à palavra cuscar é preciso explicar que é uma abreviatura da palavra coscuvilhar com o sentido de bisbilhotar ou mexericar e que é uma palavra usada apenas em registos muito informais e exclusivamente coloquiais.

Faça Login para descarregar os ficheiros.