Que surpresa ver-te aqui a estas horas! Não estás a assistir às transmissões ao vivo no canal comercial? Achei que gostavas da cobertura contínua dos eventos na casa do Big Brother?

Não me fales nisso, deixei de ver esse show. O que se passa dentro da casa é tão aborrecido que a apresentadora até tem de encher chouriços!

O que estás a dizer: encher chouriços? Embora esse reality-show me pareça pouco edificante, não posso acreditar que ela esteja a dar um workshop ou ateliê de salsicharia para ensinar os participantes a fazer enchidos!

Está longe de ser este o caso, mas entendo a tua confusão. Fui eu que não pude resistir à tentação de usar esta expressão para dizer que ela estava a falar sem dizer nada, só para ocupar tempo “morto”.

Não percebo o que é que os chouriços têm a ver com preencher um tempo vazio com assuntos irrelevantes. A criação de chouriços não se enquadra na esfera de atividade do talho?

Tens razão, antigamente faziam-se em casa mas hoje em dia são produzidos por um talhante. Para não se desperdiçar as carnes e gorduras de menor qualidade, cortam-se em pedacinhos e temperam-se com sal, alhos picados, massa de pimentão, vinho branco e, em alguns casos, sangue de porco. Essa massa é depois embutida num pedaço de intestino grosso ou tripa de porco. É daí que vem o nome “embutidos” ou “enchidos”. São famosos nos quatro cantos do mundo, quase tanto como os pastéis de Belém!

Então, enchidos e chouriços são sinónimos, não são?

Não, meu. Enchido é o nome comum e existem muitas variedades. Para dizer a verdade, cada região tem a sua própria receita e usa um nome diferente: alheiras, buchos, maranhos, cacholeiras, linguiça, etc. O chouriço é um tipo de enchido. O mais tradicional e, ao que sei, mais famoso que existe em Portugal. No Brasil, usam a palavra “linguiça” para descrever todos os enchidos e a expressão deles para explicar o ato de delongar um tema, texto ou conversa com detalhes fúteis ou assuntos irrelevantes é: “encher linguiça”.

Muito interessante! E encher chouriços também se aplica aos estudantes que, quando não sabem responder a uma pergunta, enchem a página de blá-blá-blá...

Exatamente! Páginas e páginas de chouriços.

Esse significado não se encontra em dicionário nenhum!!!!! E o contexto também não te ajuda a compreender... Está para lá da minha compreensão!

Ora, já devias saber que há palavras portuguesas que não se encontram no dicionário. Por exemplo as palavras que fazem parte da gíria ou linguagem característica de um grupo profissional ou sociocultural. A palavra “chouriço” faz parte da gíria dos jornalistas e usa-se para descrever uma coluna estreita de texto escrita para preencher o espaço da página que sobrou depois de lá se colocarem as notícias relevantes.

Já percebi: artigos de blá-blá-blá! Para enrolar...
É também o que os apresentadores de reportagens de rádio e televisão fazem, quando há algum problema técnico ou quando precisam de fazer tempo com uma lengalenga qualquer.

Pois é! Está explicada a palavra, a expressão e os seus usos. Tens mais exemplos para nos dar?

Um número infinito, mas não quero correr o risco de os nossos ouvintes nos acusarem de encher chouriços!

Então, qual é a tua sugestão?

É melhor ser sucinto e ir direto ao assunto, sem rodeios!