— Olá! Há que tempos que não te via. Como estás? Como vai a tua aprendizagem de português?
— Bem, obrigada por perguntares. Fiquei aborrecida com a gramática e ando a ouvir música. É muito mais divertido!
— E muito melhor para a tua pronúncia, para aumentares o teu vocabulário e para conhecer melhor o modo como se usa a língua.
— É verdade! Geralmente o contexto é suficiente para compreender o que quer dizer a palavra ou expressão, mas também gostava de aprender a usá-las...
— Pois é, incorporar uma palavra ou expressão coloquial no nosso discurso nem sempre é fácil. Se me deres um exemplo, talvez eu te possa ajudar.
— Uuumm.... Deixa-me pensar...Ah, já sei: O meu professor fez-me umas cenas porque eu andava a estudar à toa.
— Eh pá, não usaste uma, mas duas expressões — não está nada mal!!!!!! Onde é que as aprendeste?
— Nas canções de uma banda chamada Átoa. Na verdade, acho que o nome da banda deriva da expressão à toa ainda que a ortografia seja diferente.
— Muito me contas, eu nem sequer conheço essa banda...
— Chama-se assim porque os seus membros andavam à toa, quer dizer sem saber o que fazer quando decidiram começar a tocar juntos. Encontrei um vídeo na internet a explicar a origem da expressão: parece que tem que ver com uma corda usada para um barco maior rebocar outro mais pequeno. Os marinheiros dizem que o barco pequeno vai ou está à toa porque não tem rumo próprio, é simplesmente arrastado. A expressão descreve uma pessoa que está confusa e não sabe que destino seguir e cenas afins...
— Isso mesmo! É sobretudo usada com os verbos, estar e andar mas também ser quando a frase é negativa. Deixa-me dar-te dois exemplos: Quando era adolescente lia muito e à toa tudo o que me vinha parar às mãos. Neste caso, a expressão quer dizer “sem ordem” ou “sem critério.” O segundo exemplo é: A apresentadora Oprah não ficou milionária à toa. — que quer dizer que ela acumulou riqueza com determinação e um rumo preciso. No teu exemplo “estudar à toa” seria marrar sem um rumo ou objetivo preciso e, por isso, de forma inconsequente.
— Marrar????? Marrar não é o que fazem os animais com chifres quando investem ou usam os seus cornos para atacar?
— Isso mesmo, mas em gíria académica ou melhor dizendo na linguagem usada entre os estudantes significa estudar muito ou decorar a matéria.
— Ah! Já percebi: marrar no sentido de baixar a cabeça e focar nos livros.
— Correto! Mas voltando à tua frase, há algo que não percebo: queres dizer dar uma cena ou fazer uma cena??
— O quê???? Dar e fazer uma cena têm significados diferentes??????
— Sim!!!! Se dizes que o teu professor se passou contigo e fez-te uma cena o que estás a descrever é que ele se “zangou-se e ralhou contigo”. Quando dizes que ele te deu umas cenas queres explicar que ele te ofereceu-te umas “coisas” que podemos deduzir serem estratégias ou exercícios para melhorar o teu método de estudo. Nesse caso, a palavra quer dizer “coisas.”
— A expressão que eu ouvi na música é “Tu só dás valor às cenas quando as perdes” — neste contexto significa “coisas”, não é?
— Nessa frase, cenas pode significar “coisas”, “eventos” ou “situações.” No teu exemplo, penso que o que estavas a tentar descrever é que o professor te ofereceu uns conselhos ou recomendou que fizesses uns exercícios diferentes pois é menos provável que um professor perca a paciência e faça uma cena por ver os seus alunos a estudar...
— Então fazer uma cena o que é que significa???
— Fazer uma cena é sinónimo de explodir, de fazer algo excessivo e, por isso mesmo, censurável.
— Quer dizer o mesmo que fazer uma fita?
— Infelizmente, não. Fazer uma fita descreve uma birra de uma criança pequena. Uma birra é uma teimosia acompanhada de revolta e choro ou um fingimento como aqueles jogadores de futebol “fiteiros” que se atiram para o chão numa tentativa de reclamar uma falta que nunca existiu... Fazer uma cena é ter um acesso de fúria injustificável, reagir de forma exagerada e inexplicavelmente excessiva a alguma coisa.
— Deixa-me ver se consigo usar essa expressão numa frase...
A minha namorada fez-me uma cena de ciúmes horrível quando soube que eu ia passear contigo!
— Perfeito!!!!


BIBLIOGRAFIA
Rúbrica “Lições de Português do programa Cuidado com a Língua disponível em
https://ensina.rtp.pt/artigo/a-toa-tem-explicacao/
último acesso a 18 de janeiro de 2021