O processo de transformação do pelo de um animal, como as ovelhas, em lã envolve uma roca ou dobadoira que é o instrumento que permite fiar ou transformar em fio a pasta ou lã cardada. Esse instrumento tem um dispositivo giratória de madeira, com quatro braços dispostos em cruz, chamado sarilho, para o qual se transfere a lã do fuso ou da bobine, transformando-a em meadas. Na dobadoira, o sarilho gira num plano horizontal enquanto na roca esse plano é vertical. A meada que sai do sarilho é, na verdade, um longo fio de linho ou lã que depois se irá enrolar numa bola ou novelo.
Se a meada estiver toda direitinha é muito fácil puxar a ponta final e começar a construir o novelo.  Se, pelo contrário, nos confundirmos e puxarmos pela ponta do início da meada, o mais provável é que esta se enlace resultando num monte de fios emaranhados que será difícil, se não mesmo impossível, deslindar, desenredar ou desenvencilhar. Selecionar o fio errado da meada é, assim, algo que devemos evitar a todo o custo.
A imagem de uma meada de lã completamente emaranhada, na qual não conseguimos sequer destingir onde está a ponta de início ou fim, é perfeita para descrever alguém que, devido a uma distração, deixa de acompanhar a sequência lógica de uma argumentação ou quando uma situação se torna difícil de compreender devido à sua complexidade. É, portanto, recomendável que nunca se perca o fio à meada como sugerem os seguintes exemplos:

O público acotovela-se à acotovelar-se procura do melhor lugar para não perder o fio à meada.

Gosta de contar histórias e está sempre a acrescentar mais pormenores e outras histórias. Detalhes que podem fazer a diferença, mas que também podem fazer perder o fio à meada.

A minha série favorita está quase a acabar por isso tenho de ver o próximo episódio pois não quero arriscar-me a perder o fio à meada.

Ao contrário dos portugueses que são mais pessimistas, os brasileiros preferem usar esta expressão de forma positiva e em vez de lamentarem a perda do fio da meada preferem sublinhar a capacidade de alguém para seguir o raciocínio de um argumento ou debate ou o alinhamento dos factos associados a um determinado evento como atestam os seguintes exemplos:

Neste artigo, vamos puxar o fio da meada dos recentes eventos nucleares mundiais.

Os agentes da autoridade começaram a puxar o fio à meada e a reconstituir o percurso que a moto já tinha feito desde que foi furtada e chegaram à conclusão que a mesma já havia dado muitas voltas.

Se puxares o fio da meada, saberás de onde partiu a informação...