Então, qual é a diferença entre ser um pau-mandado e ser uma maria-vai-com-todas? Ambas as frases são críticas negativas ou depreciativas e humilhantes. O que é que é mais ofensivo: ser um pau-mandado e ser uma maria-vai-com-todas?

Ser uma maria-vai-com-todas apenas quer dizer que a pessoa não tem uma opinião própria preferindo seguir a opinião da maioria ou de outra pessoa da sua confiança. É um indivíduo sem vontade própria que copia o que os outros fazem ou dizem e que se deixa influenciar facilmente. Acredita-se que esta expressão está associada a uma rainha portuguesa que governou o reino de 1777 até à sua morte em 1815. Esta rainha, chamada D. Maria I, sofria de uma doença mental que a afastou da vida pública e dos assuntos de estado. A rainha só saía na companhia das suas criadas ou aias que, para a ajudarem a caminhar, lhe pegavam na mão para a levarem para o seu destino. Perante este quadro de uma rainha a ser levada pela mão pelas suas damas de companhia, a má língua popular passou a descrevê-la como maria-vai-com-todas e a comparar com esta maria qualquer pessoa débil, sem opinião ou vontade própria, que se deixa docilmente levar.
Um pau-mandado também é uma pessoa fraca, sem personalidade nem ideias próprias que, por inércia ou preguiça, se deixa dominar facilmente. A diferença entre um maria-vai-com-todas e um pau-mandado é que este último é subserviente.

Subserviente no sentido de fazer tudo o que lhe mandam?

Precisamente! Um pau-mandado acata as ordens que lhe dão e em vez de fazer o que a sua consciência lhe manda ou aquilo que é justo, faz o que os outros querem.

Ah, já estou a perceber. Executa os interesses das outras pessoas ignorando os seus. Enquanto a maria-vai-com-todas é apenas levada, um pau-mandado é manipulado para fazer o que outras pessoas querem.

Agora que já percebeste a diferença entre as duas expressões já podes responder à tua própria pergunta: qual delas é mais ofensiva ou insultante?

Dependerá da pessoa, mas na minha opinião deixar que outra pessoa nos use em seu próprio proveito é muito mau, muito pior do que quando apenas nos deixamos convencer por alguém que admiramos. Assim, ser um pau-mandado é uma ofensa maior do seu ser uma maria-vai-com-todas.