Há provérbios que são universais. Tenho a certeza que na China também há um muito semelhante ao ditado sobre o qual escolhi falar neste episódio: quem feio ama, bonito lhe parece

Tens razão. Na China, dizemos “情人眼里出西施” (Qing Ren Yan Li Chu Xi Shi) que significa que para os amantes, independentemente da aparência, a pessoa amada é sempre a mais bonita — exatamente o mesmo que o provérbio português. Acho que a ideia de que nem todas as pessoas têm as mesmas opiniões sobre o que é atraente é universal.

Pois é! Desde a antiguidade grega que reconhecemos o conceito do que é belo como sendo totalmente subjetivo e, consequentemente, toda a gente terá uma opinião diferente sobre o que é ou não é bonito.

Devemos acrescentar que a beleza não é apenas subjetiva como também cultural, diferentes indivíduos de diferentes culturas têm noções de beleza muito diferenciadas.
E há também o factor tempo, pois aquilo que consideramos belo altera-se com o passar dos anos.

Absolutamente! Cada cultura tem um conceito muito diferente do que é belo. E dentro de cada cultura, há também os gostos pessoais de cada indivíduo. Eu, que venho de uma cultura em que todas as pessoas acham que ter uma pele bronzeada é sinónimo de beleza, tive alguma dificuldade em compreender as mulheres asiáticas que compram produtos para branquear a pele.

Na Europa do século XIX, achava-se que gordura era formosura. Essa noção de beleza desapareceu no século XX mas, penso que — no Ocidente — está a regressar.

Considerando que esta é uma expressão ubíqua, isto é que está em todo o lado, é omnipresente e universal, acho que podemos apresentar os exemplos de uso.

Não consigo compreender porque é que o Pedro acha a Inês bela. Na minha opinião ela é feia como os trovões! É bem verdade que quem feio ama, bonito lhe parece!!!

— Já conheces o namorado do Pedro?
— Não, porquê?
— É muito feinho...
quem feio ama, bonito lhe parece
— Tens razão! Felizmente que neste mundo há gostos para tudo
— E gostos não se discutem!!!!

 

— A Maria também te mostrou as fotos do seu bebé?
— Sim! É um recém-nascido amoroso... Nasceu cheio de cabelo e muito gordinho...
— Pois eu achei-o horroroso... É obeso, cheio de rugas e espero que todo aquele cabelo lhe caia depressa pois parece mais um monstrinho do que um bebé...
— Considerando que não gostas de crianças, não me surpreende que não aches piada nenhuma a um recém-nascido.
— Esqueci-me que a Maria te pediu para ser padrinho da criança portanto não podes dizer mal do petiz...

VOCABULÁRIO

  1. braquear:  tornar branco ou mais claro, sinónimo de aclarear
  2. bronzeado/a:  tom de pele semelhante à cor do bronze provocado pela exposição direta ao sol
  3. formosura:  o mesmo que elegância ou beleza
  4. padrinho:  segundo a tradição católica, os pais de um bebé escolhem duas pessoas — uma padrinho e uma madrinha — para, na sua ausência ou impossibilidade, protegerem o seu filho
  5. trovão: ruído ou estrondo que acompanho um relâmpago durante uma trovoada

OUTRAS EXPRESSÕES MENCIONADAS
há gostos para tudo
gostos não se discutem